Métodos e técnicas


Este mapa bibliográfico talvez seja útil para o contato inicial com os métodos e as técnicas de pesquisa mais comuns em Comunicação. Para aprimorá-lo, é recomendável conversar com o orientador.

Pesquisa bibliográfica

Gil (1999, 2002), Stumpf (2005)

Análise documental

Gil (1999, 2002), Loizos (2002), Mann (1975), Moreira (2005), Taylor e Bogdan (1996)

Entrevista

Babbie (2005), Alonso (1995), Duarte, J. (2005), Flick (2002), Gaskell (2002), Gil (1999), Haguette (2003), Jovchelovitch e Bauer (2002), Mann (1975), Sutil (1995), Taylor e Bogdan (1996), Triviños (1997)

Questionário, formulário, pesquisa de opinião, survey

Babbie (2005), Gil (1999), Mann (1975), Novelli (2005), Pádua, J. (1993), Powell (1991)

Pesquisa-participante, pesquisa-ação

Becker (1997), Gil (1999, 2002), Haguette (2003), Mann (1975), Pask (1995), Peruzzo (2005), Taylor e Bogdan (1996), Triviños (1997)

Etnografia

Aguirre Baztán (1995), Beaud e Weber (2007), Galindo Cáceres (1997), Haguette (2003), Lago (2007), Pérez Serrano (1994), Travancas (2005)

Grupo focal

Canales e Peinado (1995), Costa (2005), Dias (2000), Gaskell (2002)

História de vida, história oral

Becker (1997), Cassab (2004), Galindo Cáceres (1997), Gobbi (2005), Haguette (2003), Santamarina e Marinas (1995)

Análise de conteúdo

Bardin (2004), Bauer (2002), Navarro e Díaz (1995), Fonseca Júnior (2005), Herscovitz (2007), Pérez Serrano (1994), Triviños (1997)

Análise de discurso

Benetti (2007), Gill (2002), Maingueneau (2001), Orlandi (1996, 2001)

Análise de narrativa

Gancho (1998), Motta (2004, 2007), Niel (s.d.)

Análise fílmica

Aumont (1995), Joly (1996), Martin (2007), Vanoye, Goliot-Lété (1994)

Análise hermenêutica

Bastos e Porto (2005)

Análise semiótica

Abril (1995), Codato e Lopes (2005), Iasbeck (2005), Penn (2002), Rose (2002)

Estudo de caso (estratégia)

Duarte, M. (2005), Fachin (2003), Gil (1999, 2002), Pádua, E. (2000), Pérez Serrano (1994), Triviños (1997), Yin (2005)

REFERÊNCIAS:

ABRIL, Gonzalo. Análisis semiótico del discurso. In: DELGADO, Juan Manuel; GUTIÉRREZ, Juan (org.). Métodos y técnicas cualitativas de investigación en ciencias sociales. Madri: Síntesis, 1995.

AGUIRRE BAZTÁN, Ángel. Etnografia: metodología cualitativa em la investigación sociocultural. Barcelona: Marcombo, 1995.

ALONSO, Luis Enrique. Sujeto y discurso: el lugar de la entrevista abierta en las prácticas de la sociología cualitativa. In: DELGADO, Juan Manuel; GUTIÉRREZ, Juan (org.). Métodos y técnicas cualitativas de investigación en ciencias sociales. Madri: Síntesis, 1995.

AUMONT, Jacques et al. A estética do filme. Campinas: Papirus, 1995.

BABBIE, Earl. Métodos de pesquisas de survey. Belo Horizonte: UFMG, 2005.

BARDIN, Laurence. A análise de conteúdo. 3.ed. Lisboa: Edições 70, 2004.

BASTOS, Fernando; PORTO, Sérgio Dayrell. Análise hermenêutica. In: DUARTE, Jorge; BARROS, Antonio (org.). Métodos e técnicas de pesquisa em comunicação. São Paulo: Atlas, 2005.

BAUER, Martin W. Análise de conteúdo clássica: uma revisão. In: BAUER, Martin W.; GASKELL, George (org.). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Petrópolis: Vozes, 2002.

BEAUD, Stéphane; WEBER, Florence. Guia para a pesquisa de campo: produzir e analisar dados etnográficos. Petrópolis: Vozes, 2007.

BECKER, Howard S. Métodos de pesquisa em ciências sociais. 3.ed. São Paulo: Hucitec, 1997.

BENETTI, Marcia. Análise do Discurso em jornalismo: estudo de vozes e sentidos. In: LAGO, Cláudia; BENETTI, Marcia (org.). Metodologia de pesquisa em jornalismo. Petrópolis: Vozes, 2007.

CANALES, Manuel; PEINADO, Anselmo. Grupos de discussión. In: DELGADO, Juan Manuel; GUTIÉRREZ, Juan (org.). Métodos y técnicas cualitativas de investigación en ciencias sociales. Madri: Síntesis, 1995.

CASSAB, Latif. Indivíduo e ambiente: a metodologia de pesquisa na história oral. Biblos. Vol. 16. Rio Grande: Editora da FURG, 2004.

CODATO, Henrique; LOPES, Flor Marlene E. Semiologia e semiótica como ferramentas metodológicas. In: DUARTE, Jorge; BARROS, Antonio (org.). Métodos e técnicas de pesquisa em Comunicação. São Paulo: Atlas, 2005.

COSTA, Maria Eugênia Belczak. Grupo focal. In: DUARTE, Jorge; BARROS, Antonio (org.). Métodos e técnicas de pesquisa em Comunicação. São Paulo: Atlas, 2005.

DIAS, Cláudia. Grupo focal: técnica de coleta de dados em pesquisas qualitativas. Informação e sociedade. V.10, n. 2. João Pessoa: UFPB, 2000.

DUARTE, Jorge. Entrevista em profundidade. In: DUARTE, Jorge; BARROS, Antonio (org.). Métodos e técnicas de pesquisa em comunicação. São Paulo: Atlas, 2005.

DUARTE, Marcia Yukiko Matsuuchi. Estudo de caso. In: DUARTE, Jorge; BARROS, Antonio (org.). Métodos e técnicas de pesquisa em Comunicação. São Paulo: Atlas, 2005.

FACHIN, Odília. Fundamentos de metodologia. 4.ed. São Paulo: Saraiva, 2003.

FLICK, Uwe. Entrevista episódica. In: BAUER, Martin W.; GASKELL, George (org.). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Petrópolis: Vozes, 2002.

FONSECA JÚNIOR, Wilson Corrêa da. Análise de conteúdo. In: DUARTE, Jorge; BARROS, Antonio (org.). Métodos e técnicas de pesquisa em Comunicação. São Paulo: Atlas, 2005.

GALINDO CÁCERES, Luís Jesús. Sabor a ti: metodologia cualitativa en investigación social. Xalapa: Universidad Veracruzana, 1997.

GANCHO, Cândida Vilares. Como analisar narrativas. São Paulo: Ática, 1998.

GASKELL, George. Entrevistas individuais e grupais. In: BAUER, Martin W.; GASKELL, George (org.). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Petrópolis: Vozes, 2002.

GILL, Rosalind. Análise de discurso. In: BAUER, Martin W.; GASKELL, George (org.). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Petrópolis: Vozes, 2002.

GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5.ed. São Paulo: Atlas, 1999.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4.ed. São Paulo: Atlas, 2002.

GOBBI, Maria Cristina. Método biográfico. In: DUARTE, Jorge; BARROS, Antonio (org.). Métodos e técnicas de pesquisa em comunicação. São Paulo: Atlas, 2005.

HAGUETE, Teresa Maria Frota. Metodologias qualitativas na sociologia. 9.ed. Petrópolis: Vozes, 2003.

HERSCOVITZ, Heloiza. Análise de conteúdo em jornalismo. In: LAGO, Cláudia; BENETTI, Marcia (org.). Metodologia de pesquisa em jornalismo. Petrópolis: Vozes, 2007.

IASBECK, Luiz Carlos Assis. Método semiótico. In: DUARTE, Jorge; BARROS, Antonio (org.). Métodos e técnicas de pesquisa em Comunicação. São Paulo: Atlas, 2005.

JOLY, Martine. Introdução à análise da imagem. Campinas: Papirus, 1996.

JOVCHELOVITCH, Sandra; BAUER, Martin. Entrevista narrativa. In: BAUER, Martin W.; GASKELL, George (org.). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Petrópolis: Vozes, 2002.

LAGO, Cláudia. Antropologia e jornalismo: uma questão de método. In: LAGO, Cláudia; BENETTI, Marcia (org.). Metodologia de pesquisa em jornalismo. Petrópolis: Vozes, 2007.

LOIZOS, Peter. Vídeo, filme e fotografias como documentos de pesquisa. In: BAUER, Martin W.; GASKELL, George (org.). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Petrópolis: Vozes, 2002.

MAINGUENEAU, Dominique. Análise de textos de comunicação. São Paulo: Cortez, 2001.

MANN, Peter. Métodos de investigação sociológica. 3.ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1975.

MARTIN, Marcel. A linguagem cinematográfica. São Paulo: Brasiliense, 2007.

MOREIRA, Sonia Virgínia. Análise documental como método e como técnica. In: DUARTE, Jorge; BARROS, Antonio (org.). Métodos e técnicas de pesquisa em Comunicação. São Paulo: Atlas, 2005.

MOTTA, Luiz Gonzaga. Narratologia: análise da narrativa jornalística. Brasília: Casa das Musas, 2004.

MOTTA, Luiz Gonzaga. Análise pragmática da narrativa jornalística. In: LAGO, Cláudia; BENETTI, Marcia (org.). Metodologia de pesquisa em jornalismo. Petrópolis: Vozes, 2007.

NAVARRO, Pablo; DÍAZ, Capitolina. Análisis de contenido. In: DELGADO, Juan Manuel; GUTIÉRREZ, Juan (org). Métodos y técnicas cualitativas de investigación en ciencias sociales. Madri: Síntesis, 1995.

NIEL, André. A análise estrutural de textos. São Paulo: Cultrix, s.d.

NOVELLI, Ana Lucia Romero. Pesquisa de opinião. In: DUARTE, Jorge; BARROS, Antonio (org.). Métodos e técnicas de pesquisa em Comunicação. São Paulo: Atlas, 2005.

ORLANDI, Eni. Interpretação: autoria, leitura e efeitos do trabalho simbólico. 2.ed. Petrópolis: Vozes, 1996.

ORLANDI, Eni. Análise de discurso: princípios e fundamentos. 3.ed. Campinas: Pontes, 2001.

PÁDUA, Elisabete Matallo Marchesini de. Metodologia da pesquisa: abordagem teórico-prática. 6.ed. São Paulo: Papirus, 2000.

PÁDUA, Jorge. Técnicas de investigación aplicadas a las ciencias sociales. 5.ed. México: Fondo de Cultura Económica, 1993.

PASK, Gordon. Metodología participante con rigor. In: DELGADO, Juan Manuel; GUTIÉRREZ, Juan (org.). Métodos y técnicas cualitativas de investigación en ciencias sociales. Madri: Síntesis, 1995.

PENN, Gemma. Análise semiótica de imagens paradas. In: BAUER, Martin W.; GASKELL, George (org.). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Petrópolis: Vozes, 2002.

PÉREZ SERRANO, Gloria. Investigación cualitativa: métodos y técnicas. Buenos Aires: Editorial Docencia, 1994.

PERUZZO, Cicilia Maria Krohling. Observação participante e pesquisa-ação. In: DUARTE, Jorge; BARROS, Antonio (org.). Métodos e técnicas de pesquisa em Comunicação. São Paulo: Atlas, 2005.

POWELL, Ronald R. Basic research methods for librarians. 2.ed. Norwood: Ablex Publishing, 1991.

ROSE, Diana. Análise de imagens em movimento. In: BAUER, Martin W.; GASKELL, George (org.). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Petrópolis: Vozes, 2002.

SANTAMARINA, Cristina; MARINAS, José Miguel. Historias de vida e historia oral. In: DELGADO, Juan Manuel; GUTIÉRREZ, Juan (org.). Métodos y técnicas cualitativas de investigación en ciencias sociales. Madri: Síntesis, 1995.

STUMPF, Ida Regina C. Pesquisa bibliográfica. In: DUARTE, Jorge; BARROS, Antonio (org.). Métodos e técnicas de pesquisa em Comunicação. São Paulo: Atlas, 2005.

SUTIL, Carlos Rodríguez. La entrevista psicológica. In: DELGADO, Juan Manuel; GUTIÉRREZ, Juan (org.). Métodos y técnicas cualitativas de investigación en ciencias sociales. Madri: Síntesis, 1995.

TAYLOR, S. J.; BOGDAN, R. Introducción a los métodos cualitativos de investigación: la búsqueda de significados. Barcelona: Paidós, 1996.

TRAVANCAS, Isabel. Fazendo etnografia no mundo da comunicação. In: DUARTE, Jorge; BARROS, Antonio (org.). Métodos e técnicas de pesquisa em Comunicação. São Paulo: Atlas, 2005.

TRIVIÑOS, Augusto Nibaldo Silva. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1997.

VANOYE, Francis; GOLIOT-LÉTÉ, Anne. Ensaio sobre a análise fílmica. Campinas: Papirus, 1994.

YIN, Robert K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 3.ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.

Estudo de Caso não é exatamente uma metodologia, e sim uma estratégia de pesquisa. Não basta que você tenha um objeto empírico para que tenha “um estudo de caso”. Para que este assim se configure, deve cumprir certas exigências:

  • ser um estudo intensivo;
  • preservar o caráter único do objeto investigado;
  • ocorrer no ambiente natural do objeto;
  • ser limitado quanto a tempo, eventos ou processos.

O Estudo de Caso pode trabalhar com um caso, ou dois, ou três. No caso de comparações, deve ter um foco bastante específico, geralmente em um processo que seja comum aos casos investigados.

Você pode decidir avaliar o histórico de uma instituição, fazendo um Estudo de Caso de tipo Histórico. Pode querer recuperar a biografia de alguém relevante para o campo em que estuda, caracterizando um Estudo de Caso de tipo Biográfico. Pode escolher analisar uma comunidade, fazendo então um Estudo de Caso de tipo Comunitário. Ou pode trabalhar por comparação, analisando os mesmos elementos em dois contextos diferentes, caracterizando um Estudo de Caso por Comparação.

Importa aqui compreender duas coisas: 1) nem sempre, quando temos um objeto, temos de fato um Estudo de Caso; 2) todo Estudo de Caso requer uma combinação de métodos e técnicas de coletas de dados. Talvez você tenha que lidar com Pesquisa Documental, Entrevista, Etnografia, Análise de Conteúdo, Narrativa ou de Discurso, por exemplo.

Para ler sobre Estudo de Caso, recomenda-se:

DUARTE, Marcia Yukiko Matsuuchi. Estudo de caso. In: DUARTE, Jorge; BARROS, Antonio (org.). Métodos e técnicas de pesquisa em Comunicação. São Paulo: Atlas, 2005.

FACHIN, Odília. Fundamentos de metodologia. 4.ed. São Paulo: Saraiva, 2003.

GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5.ed. São Paulo: Atlas, 1999.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4.ed. São Paulo: Atlas, 2002.

PÁDUA, Elisabete Matallo Marchesini de. Metodologia da pesquisa: abordagem teórico-prática. 6.ed. São Paulo: Papirus, 2000.

PÉREZ SERRANO, Gloria. Investigación cualitativa: métodos y técnicas. Buenos Aires: Editorial Docencia, 1994.

TRIVIÑOS, Augusto Nibaldo Silva. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1997.

YIN, Robert K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 3.ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.

O método da Pesquisa Documental vale-se de documentos originais, que ainda não receberam tratamento analítico por nenhum autor. Assim, esta pesquisa não se confunde com a bibliográfica. É comum, na produção de monografias da área da Comunicação, coletarmos dados em documentos bastante diversificados:

  • documentos institucionais conservados em arquivos;
  • documentos institucionais de uso restrito;
  • documentos pessoais, como cartas e e-mails;
  • fotografias, vídeos, gravações;
  • leis, projetos, regulamentos, registros de cartório;
  • catálogos, listas, convites, peças de comunicação;
  • instrumentos de comunicação institucionais.

Existe uma dúvida sobre considerar relatórios impressos (relatórios de pesquisa, relatórios de empresas, tabelas estatísticas etc.) como fonte documental ou fonte bibliográfica. Não há consenso sobre isso. Sugiro que se avalie caso a caso e se tome a decisão no escopo da pesquisa, junto com o orientador. Se o relatório é interno à empresa, por exemplo, deve ser tomado como fonte documental. Se o relatório foi distribuído para clientes e bibliotecas, deve ser tomado como fonte bibliográfica. De qualquer modo, as fontes devem estar explicitadas na monografia.

Lembre-se: todos os dados de uma pesquisa exigem a indicação de sua fonte. Se a fonte é um documento, indique-a em nota de rodapé.

Para ler sobre Pesquisa Documental:

GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5.ed. São Paulo: Atlas, 1999.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4.ed. São Paulo: Atlas, 2002.

LOIZOS, Peter. Vídeo, filme e fotografias como documentos de pesquisa. In: BAUER, Martin W.; GASKELL, George (org.). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Petrópolis: Vozes, 2002.

MANN, Peter. Métodos de investigação sociológica. 3.ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1975.

MOREIRA, Sonia Virgínia. Análise documental como método e como técnica. In: DUARTE, Jorge; BARROS, Antonio (org.). Métodos e técnicas de pesquisa em Comunicação. São Paulo: Atlas, 2005.

TAYLOR, S. J.; BOGDAN, R. Introducción a los métodos cualitativos de investigación: la búsqueda de significados. Barcelona: Paidós, 1996.

Na produção da Monografia, você sempre irá recorrer à Pesquisa Bibliográfica. É, portanto, um de seus métodos, pois a busca de bibliografia segue um movimento metódico, articulado com os conceitos essenciais ao seu referencial teórico.

Faz parte da bibliografia o acervo de livros e artigos que você reuniu, leu e utilizou para construir o ambiente teórico no qual irá se movimentar para compreender seu objeto. É fundamental compreender que lemos muito mais do que efetivamente utilizamos na Monografia – esta nada mais é do que nosso “relatório de pesquisa”. Assim, nem tudo que lemos deve constar do texto final. A decisão sobre o que “entra” e o que é “descartado” é um indicador da maturidade do pesquisador.

O lento processo de buscar a bibliografia, pesquisar nas bibliotecas, reunir o material que deve ser lido, efetivamente tomar contato com ele e enfim organizar (mental e concretamente) os conceitos e citações que serão posteriormente utilizados faz parte do método chamado Pesquisa Bibliográfica.

Para ler sobre este método, recomenda-se:

GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5.ed. São Paulo: Atlas, 1999.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4.ed. São Paulo: Atlas, 2002.

STUMPF, Ida Regina C. Pesquisa bibliográfica. In: DUARTE, Jorge; BARROS, Antonio (org.). Métodos e técnicas de pesquisa em Comunicação. São Paulo: Atlas, 2005.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.